terça-feira, 4 de outubro de 2016

Osíris, o deus egípcio dos mortos

O deus dos mortos
Osíris é um dos mais importantes deuses egípcios. Quando ele foi escolhido entre os quatro deuses egípcios que fariam parte dos 34 deuses, ele não sabia como proceder. Osíris é o deus do mundo dor mortos, a voz final no julgamento da Sala das Duas Verdades, regente de Aaru, a pós-vida egípcia na Oitava Casa da Noite. Originalmente ele era um deus relacionado com plantas aquáticas do Nilo, mas então, ele se tornou faraó e trouxe a civilização para o Egito Antigo. No entanto, seu reinado foi conturbado. Por vezes ele era atacado pelo irmão Set, o deus do caos e do deserto. E em uma de suas investidas veladas como uma "brincadeira entre irmãos", Osíris foi morto, colocado em um sarcófago dourado e partido em pedaços. Ísis, sua esposa, não descansou até juntar todos os 12 pedaços, e o filho de Osíris, Anúbis, com a deusa Neftis, foi quem mumificou o deus Osíris. No entanto, ele não tinha sido revivido, e Ísis suplicou aos céus que ele vivesse. Em contra-partida, Ísis engravidou de Osíris ainda morto, e gerou Hórus, o Vingador. Mas posteriormente, Osíris renasceu como um deus morto-vivo, muito mais poderoso e solene. Ele é parte importante do Maat, um conceito egípcio traduzido como "Ordem": ele faz a ordem fluir pelo Tuat quando ele faz justiça com as almas que à ele se apresentam. Osíris foi incumbido de derrotar uma criatura dos esquimós Inuit, Amarok, um lobo cinzento poderoso e silencioso na sua caçada. Na forma humana, Osíris é discreto, usando roupas de cores marrons, mas é difícil não ver um homem alto com pele meio esverdeada.

Forma "humana"

Nenhum comentário:

Postar um comentário