sábado, 30 de abril de 2016

Pequena (não tão pequena assim) lista das raças do universo dourado parte 4

Mais uma parte...desculpem por não estar podendo postar mais desenhos :/


Werehyena – criaturas da cultura africana. Sim, são como lobisomens, mas metade humana metade hiena.  Na língua kanuri, essa raça é chama de “bultungin” (“eu mudo a mim mesmo para uma hiena”).  Algumas vezes é dito que os bultungin costumam sair nas noites e beber o sangue de suas vitimas. Outra lenda recorrente é que essa raça poderia ser uma hiena disfarçada de humano. Eles partilham da língua comum “were”, mas não são amigáveis.

Insectóides – não são necessariamente uma raça “were”, mas são metade humanos metade insetos. São uma raça comum que vive no Abismo, em sua maioria são moscas ou mosquitos, mas não são predadores, são apenas carniceiros e assassinos, sempre vitimas dos filhos de Aracne ou de outras raças maiores.

Berserker e Ulfhednar – não são raças, mas classes de guerreiros nórdicos. Os ulfhednar são guerreiros que eram tidos como “lobisomens” por usarem capas de lobo presas ao corpo, como a cabeça de touca e o resto da pele pelo corpo. Já os berserker eram guerreiros que poucos tinham visto, conhecidos por uma fúria de combate incontrolável. Eram chamados assim por usarem peles de urso, daí o nome “berserker”. Alguns relatos dizem que eles comiam cogumelos ou ingeriam toxinas e ficavam loucos de um ódio grandioso, sendo que as lendas diziam que podiam repelir espadas, lanças, machados e flechas.

Super -humanos – notavelmente, existem humanos poderosos no universo dourado, alguns ganham poderes por acidente, outros os conseguem por magia ou pela ciência, e outros nascem com esses poderes.
Aliens – sim, eles existem no universo dourado, não se sabe quais são, quantos são ou quem são, estão vagamente relacionados com os estrelares, mas ninguém sabe ao certo como eles são, e no fim das contas apenas um humano foi abduzido por eles, Ivan Boskonovich.
Ogros – os ogros são parecidos com orcs, mas são grandes, cruéis, e várias vezes tem mais de uma cabeça ou chifres. Presentes com mais aparições no folclore japonês (os “onis”), são em maioria vistos como criaturas más, mas às vezes são apenas guardiões de alguma coisa.

Dragões – as criaturas aladas mais poderosas dos ares, presentes em centenas de culturas, tanto no ocidente como no oriente. São divididos em: Dragão, Drake, Wyrm e Wyvern, cada um com sua particularidade.

Fantasmas e Espíritos – não confundam um com o outro. Fantasma é a energia da alma de um humano que ficou presa ao mundo humano ou ao “plano material” por algum tipo de razão, um problema pendente, é comum o ectoplasma ser sinônimo de fantasmas numa casa. Espírito é algo muito mais forte, podendo ser de humano, animal ou alguma raça terrena; seus muitos significados religiosos e culturais são inúmeros, podendo ser bons espíritos ou maus espíritos.

Anjos – não se enganem os anjos não são criaturas benéficas, poderosas, benevolentes ou protetoras, elas são criaturas da luz corrompida no Abismo a serviço de Urami e seus dois filhos, e tantos outros também conhecidos como demônios estão ao seu serviço.


Com certeza esqueci algumas raças ainda, então, é...se preparem.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Pequena (não tão pequena assim) lista das raças do universo dourado 3

Venho a vocês novamente com mais raças :v


Draugr – a versão nórdica de mortos-vivos. Também conhecidos como  aptrgangr (“o que caminha de novo”), mais literalmente, seriam fantasmas que vivem nas tumbas dos vikings mortos e usam seus cadáveres para lutar ou apenas guardar o lugar. Caso o morto fosse alguma pessoa rica e importante, os draugr guardavam o tumulo zelozamente.

Gárgulas – raça de aparencia demôniaca para os cristão. São criaturas de aparencia dragonoide fundida com formas humanas, com cabeça e braços e mãos humanos, mas as vezes o rosto tem um bico ou presas, as pernas são curvas como animais, cauda e asas. As antigas edificações gótico-vitorianas da Inglaterra, França e Alemanha tinham muitas formas estranhas em castelos, que serviam para escoar a água quando chovia, e essas eram chamadas de “gárgulas”, mas OS gárgulas, são criaturas guerreiras e possuídoras de grandes poderes.

Vampiros – eternos inimigos dos lobisomens e de quaisquer que sejam seus aliados, esses mortos vivos nasceram em muitas lendas antigas, mas o “pai” dos vampiros na história do mundo foi Vladslaus von Drakulea, o clássico Conde Drácula. Os vampiros precisam beber sangue para sobreviver, não podem sair ao sol, e tecnicamente, são imortais, a menos que queimem na luz do sol ou que você pregue uma estaca de prata ou madeira em seu coração.

Homúnculo – pouco se sabe sobre tais criaturas. A descrição básica é que um “homunculos” é uma forma de vida humanoide criada a partir da alquimia usando componentes inanimados. São extremamente parecidos com humanos normais, você não sabe se a garota com quem você está tendo um encontro é uma homúnculo. Não se sabe se tem poderes, mas ainda é um assunto misterioso sobre uma raça cheia de sombras sobre sua criação.

Völva – não são uma raça, mas sim uma “classe”, são mulheres poderosas que possuiam poderes mágicos, consultando as runas para ver o futuro. São mulheres simples, bondosas de coração, mas firmes, poderosas e implacáveis em sua fúria.

Bruxos (as), Feiticeiros (as), Magos (as) – novamente não são uma raça, mas classes de huamanos que possuem possuem poderes mágicos concedidos pelos deuses ou que nasceram com qualidades mágicas inerentes por descendencia. Existem diferentes tipos de ramos dessas classes, como os piromantes, hidromantes, necromantes, e por ai vai.

Esqueletons – diferente dos zumbis, ghouls e draugr, o esqueleton é simplismente um esqueleto vivo, animado pela necromancia.  Extremamente agressivos, raramente possuem inteligencia, podem usar armas se for necessário, e alguns mantem as lembranças de quando eram vivos. Hades costuma usar muitos desses como guardas de seu palácio no mundo inferior.

Ainda faltam algumas, mas agora não são tantas como antes ;3

sábado, 23 de abril de 2016

Pequena (não tão pequena assim) lista das raças do universo dourado Parte 2

Ainda existem muitas raças no universo dourado, mesmo que sejam “artificiais” (criadas pela ciência), e ai vai uma nova lista:

Autômatos – os autômatos são uma incógnita, você nunca sabe que uma pessoa na verdade é um corpo mecânico com pele artificial, óleo dourado, engrenagens, fator cura, super força, envelhecimento retardado e ainda por cima uma alma humana dentro.  Pouco se sabe sobre eles, o único boato que existe é que sejam devotos de Hefesto, e com ele aprenderam uma técnica de misturar magia e mecânica pra criar corpos novos, mas ainda mortais.

Avians – os “avians” seriam um genérico das harpias, mas nessa raça existem homens e mulheres. São também genéricos dos “weres”, são metade humanos metade pássaros, podendo ser o mais simples pardal até a mais majestosa águia. Possuem concordância com a “língua primal” e mais as línguas de suas culturas e territórios.

Vanaras – vanara, em sânscrito, quer dizer habitante da floresta (vana= floresta, nara= criatura). São uma raça da cultura Hindu, primatas humanoides guerreiros de grande poder, são aliados de Rama, uma encarnação do deus Vishnu. Mais tarde se revelou que os varana eram avatares de deuses já conhecidos, mas, como é de se esperar, outros também começaram a surgir.

Shapeshifter – partidários e solidários dos were, os shapeshifter são muito comuns, porém também são muito difíceis de achar. Diferente dos weres que estão presos em uma única forma animal (lobisomem = lobo, werecat = felino, etc.), o shapeshifter pode mudar – por meio de metamorfose- para qualquer animal que ele tenha conhecimento de biologia ou que exista (criaturas mágicas lendárias ou de grande importância não se incluem).

Estrelares – no universo dourado, Quasar é o senhor do universo, lorde de luz e trevas, a carne da escuridão profunda do universo, pai das estrelas e líder do conselho dourado. As estrelas são suas filhas e filhos, e geralmente, as estrelas se encantam com a Mãe Gaia, e caem na terra com o intuito de se misturar com os humanos. Assim que caem na terra, as estrelas “nascem” com corpos de homens ou mulheres, na base da adolescência, e costumam ter pele brilhante, as garotas são baixinhas, os rapazes são altos e magros, cabelos de cores brilhantes, olhos claros e grandes poderes destrutivos.

Povo das sombras – não se sabe muita coisa sobre o povo das sombras, só se sabe que são criaturas envoltas em sombras mais escuras que a noite, com olhos vermelhos, e após vê-los, você obviamente está em perigo ou alguém próximo a você.

Centauros – clássica raça grega, metade humanos da cintura pra cima, metade cavalos da cintura pra baixo. Exímios arqueiros, curandeiros e oradores das palavras dos Olimpianos, sempre tentando proferir sua palavra às outras raças já sem esperança de salvação da Mãe Gaia.

Jotuns – os jotuns são os eternos inimigos dos asgardianos. Essa raça de gigantes é muito hostil, mas uns poucos são amigáveis. Ilusionistas poderosos, seu rei era Utgard-loki, mas este foi transformado num dragão de gelo, e agora sua alma está aprisionada.

Naga – os naga são uma raça da cultura hindu, são metade humanos e metade serpentes, mas não são “weres” ou reptilianos. É uma raça guerreira, comumente anfíbia, podendo se locomover rápido na água, mas em terra são ferozes na batalha.

Banshees – as banshees são uma raça de criaturas femininas escocesas, criaturas espirituais que são o prelúdio da sua morte, mas existe uma condição: você tem que ter sangue escocês legitimo para ver uma banshee.

Yokais – uma raça de criaturas em maioria espiritual da cultura xintoísta do folclore japonês, que incluem as kitsunes, mas são em um outro patamar mais diversificado, como Kappas, fantasmas específicos de locais sagrados, e até mesmo algumas entidades poderosas.

Djins  e Ifrits – os djins podem ser considerados os clássicos “gênios da lâmpada” da cultura do oriente médio, e os ifrits são parecidos, mas ao passo que o djin representa o vento, o ifrit representa o fogo.

Golem – criatura da mitologia judaica, são criaturas de pedra ou argila ou rocha pura, imunes a magias e muito agressivas. Uma vez que um rabino confeccione um golem, o golem fará o que o rabino escrever num papel e colocar em sua boca.

Succubus e Inccubus – criaturas demoníacas da mitologia judaico-cristã ou islâmica comumente relacionadas à traição. A succubus é a forma feminina, ela seduz os homens para se alimentar de seu sangue, sua carne e por fim amaldiçoar sua alma, e o inccubos faz o mesmo com as mulheres.

Ciclopes – os ciclopes são filhos de Poseidon  com as ninfas, são gigantes ou homens (raramente mulheres) muito altos, fortes, e com apenas um só olho no meio do rosto. São usados pelo deus dos mares nas forjas subterrâneas e Hefesto costuma trabalhar com eles dentro de vulcões.

Criptos – não são uma raça especifica, mas sim um aglomerado de monstros que surgiram ao longo dos anos. São tiradas fotos, são feitos relatos de vitimas de ataques, mas nada nunca é provado sobre a real existência de um cripto, comumente estudados pela “criptozoologia” dos humanos.

Humanos - a raça mais fraca, patética, traidora, trapaceira, falsa, frágil, facilmente mutável e manipulável do universo dourado. Aqueles que não possuem essas características com certeza são diferentes, possuem um coração bom ou tem a alma pura. São a maioria em Midgard, ou em alguns outros mundos. Possuem obviamente personagens históricos, e vilões lendários como Marx e Simone de Bouavier (não me dou ao trabalho de escrever certo o nome dela). Possuem grande aptidão para adaptação e estudos de magia, feitiçaria, bruxaria, alquimia e habilidades de luta, sendo ainda alguns devotos aos deuses antigos.




Existem ainda mais raças pra serem listadas, e eu o farei assim que tiver o material em mãos :3

Haernir - os guerreiros nórdicos da escuridão

Anatomia 1

Homem x Mulher Haernir
 Os haernir (ou haemir, não consegui fontes confiáveis quanto ao nome, agora não dá pra corrigir), são não uma raça, mas sim mais uma classe de guerreiros nórdicos: entre guerreiros de um jogo de RPG quando você pode escolher entre guerreiro, paladino, assassino, etc., o haernir é o assassino. São facilmente reconhecidos por sua altura, mas num acampamento de batalha, você nunca sabe quem são haernis até que metade dos guerreiros desapareça no fim de tarde e volte durante as altas horas da madrugada, em silêncio. A altura básica do homem da classe haernir geralmente é 1,80m, mas podem ser mais altos, geralmente magros, mas fortes; as mulheres tendem a ter a mesma altura, cabelos castanhos ou muito escuros, magras e rápidas. Comumente, suas roupas também são escuras, e elas escondem tatuagens de cunho pagão, como o Valknut ou até mesmo motivos geométricos ou desenhos de corvos.









 As roupas e armaduras e armas dos haernir são sempre opacas, escuras e completamente sem brilho, levando em conta que são guerreiros da noite. Suas estratégias de batalha são sempre variáveis, levando sempre em consideração o tamanho e a organização do acampamento inimigo: se tem guardas, se tem animais, se tem fogueiras, qual a nacionalidade dos guerreiros, qual sua fé, quais seus medos. Os homens dos haernir costumam usar cotas de malha preto-piche, espadas curtas de ferro negro afiado, escudos com desenhos negros de corvos ou do valknut; as mulheres costumam ser mais práticas, usando longos capazes, roupas leves, mas de movimento suave, costas de malha mais leve, armaduras leves ou nenhuma, couro forte e suas armas são quase sempre adagas de ferro afiadas. Costumeiramente, um haernir ou até mesmo um pequeno grupo de até sete são contratados para eliminar algum alvo especifico. Durante a noite, num acampamento, você pode estar com seus amigos, comendo, bebendo, se divertindo, e a ultima coisa que vai sentir será a mordida fria do aço e do ferro na sua carne, e sua ultima lembrança será a de uma sombra com olhos opacos e decidida a te matar.
(foto ruim, mas...)
Guerreiros da noite

sábado, 16 de abril de 2016

Pequena (não tão pequena assim) lista das raças, neutras, douradas e abissais Parte 1

Galera, não consegui fazer nenhum desenho pros posts até agora, procrastinei demais, enrolei, fiquei ocupado demais com certos "desafios" de desenho de um grupo, e preciso melhorar muito ainda, portanto vou fazer uma lista de todas as raças presentes no universo dourado:


Lobisomens – raça de criaturas humanóides meio homem (ou mulher), meio lobo; possuem culturas tribais ou pagãs, xamanicas e são raros de encontrar, mas numerosos; se dividem em guerreiros, algozes, heróis, xamãs e outros. Possuem cinco formas de transformação: hominídeo (na língua deles chamados de “hugruh”), 75% humano 25% lobo (conhecido como “grahaguh”), 50% pra cada, o clássico lobisomem (chamado de “lukhantrulf”), 75% lobo (um tipo de lobo pré-histórico gigante, conhecido como “ulfhuguh”), e a forma 100% lupina (“luphug”).

Elfos – raça nórdica de criaturas humanóides do elemento luz vivem em Alfheim, um dos nove mundos da Yggdrasil, regido por Frey. Os elfos são criaturas belas, vivem centenas de anos ou são imortais, só podendo morrer de males como uma tristeza profunda, morte em batalha ou até mesmo se permanecerem muito tempo sem a luz do sol. Em maioria são louros e de pele luminosa, e o que os diferencia dos humanos são pequenos detalhes como os olhos ou orelhas pontudas.

Orcs – raça guerreira humanóide, de pele verde lisa ou escamosa, ou morena, feições abrutalhadas com presas, cabelos escuros e grossos, corpos grandes e fortes, de cultura xamanica e de caminhos secretos de magia de guerra, costumam venerar deuses da guerra, que em sua própria língua tem outros nomes, mas podem ser Ares, Huitz, Onúris, entre outros.

Haernir – não são bem uma raça, e sim uma classe de guerreiros nórdicos, são algozes especiais que atacam de noite, veneram as sombras como sua maior arma de guerra, usam armaduras escuras e opacas, armas escuras e opacas, e sempre em silencio quando invadem acampamentos inimigos e matam todos sem deixar rastro, e depois vão embora.

Sátiros – raça grega pertencente a casa de Pã, o deus grego da felicidade, do pânico e dos lugares selvagens. Metade homem e metade bode (embora não seja incomum achar um sátiro fêmea) são hostilizados pelos humanos cristãos e chamados de demônios, sempre caçados e forçados a proteger a floresta, sua morada, da forma mais sutil possível.

Anões – raça nórdica que cresceu dos vermes que comiam o grande gigante da criação, de baixa estatura, troncudos, muito engenhosos e habilidosos, misturando magia e tecnologia em suas forjas, criaram algumas das mais poderosas armas dos asgardianos, como o Mjölnir, o Barco de Frey ou os cabelos de Sif.

Gigantes das montanhas – criaturas de grande poder, muito antigas, feitas dos ossos das montanhas. São pacificas, mas de ira lenta e longa. Só foram para a guerra algumas vezes, e são devotos das deusas e deuses da terra, em especial Erda e Geb.

Werebear – assim como os lobisomens, eles são metamorfos, porém são metade humanos metade ursos. São grandes, fortes, pacientes, mas de pavio curto demais. Concentram-se em grande parte na Rússia, mas são comuns em tribos de esquimós e nativos americanas. Partilham com os lobisomens uma língua comum.

Tritões e sereias – os tritões e as sereias são uma raça cheia de mistérios, já foram apelidados de “abissais”, por sempre se esconderem nas sombras dos abismos dos mares. São devotos de Poseidon e outros deuses dos mares. Podem andar na terra, mas sua aparência é estranha na forma humana, porém podem se manter longe da água por muito tempo usando magia.

Einherjar – são os Guerreiros de Odin, mortos após combate e levados pelas valquirias para Vahalla, o castelo de Odin e Asgard. São mais fortes que os humanos normais, mais rápidos, mais resistentes e são sempre enviados por Odin para missões especiais.

Werecat – os “werecat” estão presentes entre os werebear e os lobisomens, só que são metade felinos, no geral. Assim como os werebears, eles partilham da língua comum dos lobisomens, só que com mais particularidades e diferenças, pois se originaram no Egito e em outros lugares onde os gatos são mais comuns, como no Japão. Possuem também cinco formas. Uma curiosidade: as mulheres dessa raça, geralmente, costumam ter um poder de sedução muito grande.

Kitsunes – raça muito comum no Japão são raposas espirituais, que podem assumir a forma humana, porém não podem esconder as orelhas e a cauda ou caudas. Tem grandes poderes de ilusão e magia espiritual, podendo levar à loucura um inimigo desavisado.

Harpias – raça grega de criaturas metade mulher metade pássaro, em geral, águias e falcões, mas existem variantes. Carnívoras e muito agressivas, atacam até quando não é necessário.

Minotouros – metade humano e metade touro ou boi, são uma raça de origem grega, então não partilham da língua comum dos lobisomens. São eruditos, guerreiros, ou construtores, estudam muito e são fluentes e magia de xamanismo.

Reptilianos – essa raça varia muito, podendo passar das lâmias até os dragonoides. São uma raça mágica, metade humana e metade réptil, indo do mais insignificante lagarto até o mais poderoso dragão, ou os antigos dinossauros. Eles partilham da língua comum.

Wererat – esses são numerosos demais, metade humana metade ratos, essa raça é comum entre os goblins, mas não é difícil achar um humano dessa raça. Vivem na encolha, se escondendo, roubando, sempre com medo e sempre assustados. Partilham da língua comum.

Goblins – raça parecida com os orcs, mas se parecem com orcs anões. Engenhosos em maquinário e explosivos são furtivos e trapaceiros.

Gnomos – raça Elemental das culturas neopagãs, de origem muito antiga, são sempre relembrados em estátuas de “gnomos de jardim”. São a contraparte dos goblins, mestres em magia da floresta, bondosos, gentis e curiosos, mas furiosos pra derrotar os inimigos.

Fadas – raça mágica e poderosa que possui reinos enormes e secretos no que resta das florestas, ou em lugares que ainda nem foram descobertos. Seu ÚNICO rei é Oberon, o parceiro de Atena na aliança dourada. Podem ser pequenos ou mudar sua forma pra grande como um elfo.

Zumbis e Ghouls – raça comum no reino de Hades são mortos vivos, mas tem suas diferenças: zumbis são estúpidos, lerdos e sem um mínimo de inteligência; ghouls são de certas formas inteligentes, mas bestiais, carniceiros e irracionais. Usados como “bucha de canhão” ou até mesmo infantaria do terror.

Elfos escuros – é um tipo de “elfo anão”, e tem sua origem: os 4 anões que fizeram o Brinsighamen para Freyja exigiram um pagamento inusitado: que ela tivesse uma noite de amor com cada um deles, e assim ela engravidou de cada um (não me perguntem como a gestação foi, ela é uma deusa), e teve filhos. Os Vanir são deuses menores, mas Frey e Freyja são tidos como senhores dos elfos, e misture um anão com uma senhora de elfos, e teremos os elfos escuros. Não diferem muito dos anões normais, apenas são mais altos do que o normal.

Elfos das trevas – esses elfos são o contrário dos elfos de Vanaheim. Eles aderiram ao poder da escuridão e da noite, porém nem todos são maus e nem foram para o Abismo. Alguns são aliados dos haernir, ensinando a eles os truques das sombras.

Aracnídeos – a prole de Aracne, a mulher que foi amaldiçoada por Atena por ser arrogante numa competição de tecelagem, foi transformada em aranha. Os aracnídeos são criaturas humanóides de aranhas, muito furtivos e extremamente violentos, assassinos e cruéis. Comem carne e se multiplicam rápido, levando terror por onde passam. São inimigos declarados dos lobisomens e dos wererats.

Filhos de Equidina – Equidina é a mãe dos monstros gregos, e depois que a maioria de seus filhos foram derrotados ou mortos, ela começou a gerar outros filhos, menores e mais raros. O mais recente é um meio humano ítalo-brasileiro que se tornou um mafioso de grande poder nas “eras escuras do herói”.

Trolls – os trolls podem variar muito de tamanho e forma, mas os mais comuns são parecidos com os nativos americanos, mas com uma forma nórdica de ser. São caçadores natos, fazendo armadilhas estratégicas e engenhosas. São usuários da magia voodoo, costumam atacar de longe, com lanças e dardos, mas existem aqueles que usam o “martelo de troll”, uma arma cruel que pode ser média e leve ou grande e esmagadora.

Hobgoblin – são uma raça de goblins, uma variação, mas eles tem a altura de um humano normal, são divertidos e amigáveis. Podem mudar pra formas animais, como cães e coelhos. Não se sabe muito sobre eles, mas são comuns em vários folclores.

Daemons – raça grega de criaturas elementais, confundidos com “demônios” pelos cristãos por causa da pronuncia e escrita em latim. Seus grandes poderes podem variar de acordo com os elementos que controlam, existem também variantes dessa raça como os Djins e os Ifrits, da cultura do oriente médio.

Driades – raça feminina grega que seria um equivalente aos elfos, mas só existem garotas nessa raça. Vivem dentro de plantas, pois estas são sua força vital. Fluentes em magia da floresta, os sátiros vivem a persegui-las por questões amorosas.

Treants – raça reclusa devota a Green Man, são grandes criaturas humanóides ou parecidas com animais, mas são grandes aglomerados de plantas e arvores que se uniram e “ganharam vida”, ou mais especificamente, consciência. Eles andam, falam, e matam, se for necessário.



Existem mais raças, mas assim que eu as tiver numa próxima lista, eu posto pra vocês :3.

sábado, 9 de abril de 2016

Equipes: os 3 sóis

A equipe dos três sóis é composta pelos três filhos do ouro que são filhos das versões pagãs do deus do sol que o representa: Faraó é filho de Rá, Aríete é filho de Apolo e Solária é filha de Lugh. Cada um tem uma habilidade diferente do sol: Aríete tem um calor de fogo intenso, Faraó pode usar a luz como lazer pra destruir os inimigos, e Solária pode usar a luz do sol pra curar ou pra cegar os adversários, além de poder resistir a altas temperaturas. Esses três lutando juntos resultam em destruição e fogo no campo inimigo, visto que Aríete tem o poder da “autopropulsão”, e conforme ele “voa” na direção do seu alvo, ele esquenta a ponto de se tornar um míssil de fogo; Faraó pode trazer do próprio sol raios de calor que queimam os adversários até virarem cinzas, ele também pode criar campos de luz que podem revitalizá-lo durante o combate; Solária pode usar raios de calor pra revigorar seus aliados, cegar oponentes e queimá-los com uma luz de calor intensa, mas isso a cansa ao ponto da exaustão. Com essas três singularidades do sol combinadas, o fogo será a ultima coisa de que o inimigo vai se lembrar.
O sol grego, o sol egípcio e o sol celta.