terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Akheilos, o tubarão monstruoso

Akheilos
 Akheilos era filho de Zeus com a rainha Líbia Lamia. Muito belo, houve uma competição em torno disso levada ao julgamento de Pã. Afrodite irritou-se com as alegações de Akheilos ser mais belo que ela, e fez Pã se apaixonar pela ninfa Eco e transformou Akheilos em um monstro tão feio quando ele tinha sido belo - no caso, um tubarão monstruoso. Tempos depois, salvou Ajax o menor, conhecido também como Ajax Locriano, da morte decretada por Atena, o que levou à sua morte nas mãos da deusa e o seu poder ser entregue à Poseidon.
Amargurado há milênios com a forma que a maldição de Afrodite lhe deu, convenceu-se a lutar em prol do Abismo, acreditando que assim sua maldição terminaria e sua bela forma de antes, devolvida.

Akheilos lutando contra Xiuhtecuhtli

Xiuhtecuhtli, o deus Asteca do fogo

Xiuhtecuhtli, chamado também de Senhor Turquesa ou Senhor do Fogo, era considerado o guardião dos reis e dos guerreiros e deus do fogo, do ano e do tempo. Xiuhtecuhtli se levantou de um forno em Mictlan, o submundo Asteca, e atravessou a terra e os céus como um pilar de fogo, unindo o universo. Tem o rosto avermelhado, e na cabeça carrega uma coroa de fogo com ornamentos de turquesa.
Xiuhtecuhtli se uniu à batalha contra o Abismo pelo bem de seu povo; caso o Abismo vença, a vida será impedida de se renovar à partir das cinzas e os seus estarão eternamente condenados.

Xiuhtecuhtli em sua forma divina
Xiuhtecuhtli em sua forma humana


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Dante Luiz, Múmia Guerreira, filho de Osíris, guardião do espírito de Amarok

Dante Luiz Leonel, ou para os chegados, apenas Dante, é um rapaz de boa aparência, filho de Osíris. Dante é um rapaz complicado, sua vida possui inúmeros problemas, ele tenta os resolver sozinho, mas ao conhecer Pedro, este decide que irá ajudá-lo no que for necessário. Dante possui um estilo de roupas muito casual, cabelo louro escuro comprido e barba, um gosto musical muito bom, e é do tipo leal. Como Múmia Guerreira, seus poderes são grandiosos: além de ter o direito, de invocar um dos grandes faraós do passado uma vez ao mês para ajudar em combate, ele pode invocar outras múmias para lutar, criar cortinas de areia protetora, usar as ataduras de linho para lutar, ele tem poderes de morte, consegue ver a alma e as auras dos inimigos, e é detentor de um par de armas faraônicas, o gancho e o mangual, armas icônicas de todo o Antigo Egito. Usando os poderes de Amarok, ele causa um medo intenso nos inimigos, se move silenciosamente, além de ser “invisível” usando a camuflagem sem reflexão dos pêlos do lobo. Além disso, ele possui um status de “imortalidade”, que só é cancelado caso a morte seja algo muito especifico, fazendo dele assim, invencível em combates que poderiam destruir até mesmo seu pai renascido Osíris.

Amao, criação de Amarok, o lobo cinzento dos Inuit

O lobo cinzento
O acordo
 Amarok é para os esquimós Inuit o conceito da criação, e dele surgiu o caribu, que é um animal, carne, fonte de vida. Mas o caribu envelheceu, adoeceu, e de Amarok saiu um lobo, Amao, que devorou o caribu doente, deixando os outros vivos para perpetuar o ciclo da vida. No entanto, há lendas de que Amarok seja mesmo um lobo enorme, cinzento como rios congelados, solitário, que caça os viajantes perdidos na floresta. Sobre Amarok é contado que possui o tamanho de urso, de pelo cinzento sem nenhuma luminosidade, ele se move incógnito nas sombras da floresta noturna, e quando algum caçador vai para lá sozinho se aventurar, Amarok está lá. Os dourados sabiam que ele poderia ser usado para destruir os heróis, e Osíris foi mandado para derrotá-lo e capturá-lo. Ao chegar lá, ele foi atrás do lobo, o frio não incomodando sua carne morta-viva, e quando o encontrou, seu primeiro impulso foi atacar, mas resistiu. O lobo apenas o observou, ficou parada, tentando dizer algo. Então Osíris percebeu que ele não era mau, nunca foi nem jamais seria, e então fez um acordo com o lobo: ele poderia sair de lá pacificamente se ajudasse a aliança dourada, e usando bons argumentos, explicou como poderia ajudar e o quê os Mestres do Abismo iriam fazer ao mundo. Amarok concordou de bom grado. Não permitiria que destruíssem sua floresta, mesmo que para isso, tivesse que abandoná-la.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Osíris, o deus egípcio dos mortos

O deus dos mortos
Osíris é um dos mais importantes deuses egípcios. Quando ele foi escolhido entre os quatro deuses egípcios que fariam parte dos 34 deuses, ele não sabia como proceder. Osíris é o deus do mundo dor mortos, a voz final no julgamento da Sala das Duas Verdades, regente de Aaru, a pós-vida egípcia na Oitava Casa da Noite. Originalmente ele era um deus relacionado com plantas aquáticas do Nilo, mas então, ele se tornou faraó e trouxe a civilização para o Egito Antigo. No entanto, seu reinado foi conturbado. Por vezes ele era atacado pelo irmão Set, o deus do caos e do deserto. E em uma de suas investidas veladas como uma "brincadeira entre irmãos", Osíris foi morto, colocado em um sarcófago dourado e partido em pedaços. Ísis, sua esposa, não descansou até juntar todos os 12 pedaços, e o filho de Osíris, Anúbis, com a deusa Neftis, foi quem mumificou o deus Osíris. No entanto, ele não tinha sido revivido, e Ísis suplicou aos céus que ele vivesse. Em contra-partida, Ísis engravidou de Osíris ainda morto, e gerou Hórus, o Vingador. Mas posteriormente, Osíris renasceu como um deus morto-vivo, muito mais poderoso e solene. Ele é parte importante do Maat, um conceito egípcio traduzido como "Ordem": ele faz a ordem fluir pelo Tuat quando ele faz justiça com as almas que à ele se apresentam. Osíris foi incumbido de derrotar uma criatura dos esquimós Inuit, Amarok, um lobo cinzento poderoso e silencioso na sua caçada. Na forma humana, Osíris é discreto, usando roupas de cores marrons, mas é difícil não ver um homem alto com pele meio esverdeada.

Forma "humana"

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Ausência do WulfJakal

Pessoas, Vingadora na área :)

Passei aqui à pedido do WulfJakal pra avisar o motivo da ausência dele no blog recentemente.

Basicamente falta de internet decente pra montar os posts. Eeeee um pouco de desorganização com os desenhos.

É isso, pessoas.

Bye o/

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Deuses proeminentes no universo dourado: Khepri, o escaravelho do sol nascente e Khnum, o deus egípcio da criação

 Khepri é o deus escaravelho egípcio do nascer do sol. Ele é uma divindade primordial, que nasceu ao dizer seu próprio nome, e assim gerou Shu, deus do vento, e Tefnut, deusa da umidade do ar e das nuves, e esses geraram Geb e Nut, mas isso é outra história. Khepri é, obviamente, um escaravelho que rola bolas de estrume, mas aqui ele tem o papel de rolar o Sol para fora do Tuat, a dimensão mágica que existe em baixo da pele da nossa. Khepri é a personalidade da manhã do deus Sol Rá, e assim, seu poder está ligado à luz e ao sol. Os antigos egípcios acreditavam que a cada nascer do Sol, não era apenas um novo dia, mas o nascer de um novo mundo. Khepri NUNCA aparece em forma humana para ninguém, ele acredita que não é o momento de os humanos o verem novamente e se contenta com seu trabalho. No entanto... quando Rá foi para seu sono crepuscular, Khepri foi "sacrificado" e divido em muitos escaravelhos menores para gerar um mar desses insetos e aprisionar Apófis na parte mais profunda do Tuat. Mas agora com a guerra entre o Abismo e o Ouro, Khepri voltou, e ele trará nova esperança e nova vida para quem precisar.

(Escrevi errado, NÃO ACREDITO, EU NÃO ACREDITOOOOO(Leia com a voz do senhor Donizildo)).
Khnum é o deus egípcio que representa a criatividade, vida nova, ele regulava as águas do Nilo e também criava os humanos em seu torno de argila, mas não só a carne humana era criada, mas também o ka humano (uma das partes da alma, junto com o ib, sheut, ba, ren, khat, akh, sahu e o sekhem). Khnum por vezes é relacionado à outra personalidade de Rá, assim sendo o Sol do fim da tarde e que entra no Tuat para a viagem noturna de Rá. Khnum tem uma cabeça de carneiro e olhos tristes, mas em suma ele não é O guerreiro, mas sim um criador, visto que ele possui uma personalidade gentil para aqueles que precisam dele.
Assim que a guerra se instaurou e dividiu todos os panteões nos grupos dos Lordes do Abismo contra a Aliança Dourada, Rá obviamente foi para os dourados, e por tabela, levou Khepri e Khnum com ele, e eles são tão necessários quanto se podia esperar.


Deuses proeminentes no universo dourado: Tezcatlipoca, o deus do céu noturno, das catástrofes e Senhor do Espelho Fumegante

 Tezcatlipoca é um dos três grandes deuses do mundo Asteca. Ele é o céu noturno, o vento noturno, os furacões e os terremotos. Ele é o fogo, a terra e a morte e o Senhor do Espelho Fumegante que pode lhe mostrar toda a humanidade. O deus jaguar foi quem conseguiu banir o deus serpente emplumada Quetzalcoatl e instalar na tradição asteca os rituais de sacrifício humano. Sua aparência é de um grande 'werecat' com forma de jaguar, usando seu espelho e ricos enfeites. Na forma "humana" ele faz jus ao seu titulo de deus do céu noturno, quase uma cópia escrachada de Nut, deusa egípcia do céu. Sua pele é de tons de preto e azul do mais profundo pontilhado de estrelas, e na cabeça ele usa uma capa de jaguar. Se ele é aliado do Abismo? Não tenha dúvidas disso. Existe uma razão para que Tezcatlipoca não use roupas "normais": ele tem um forte desprezo pela cultura humana atual, as roupas cada vez mais feias e ridículas, nada feito com as próprias mãos depois de caçar sua comida ou mesmo feito com carinho, e por isso, ele sempre aparece nas roupas tradicionais astecas.

Deuses proeminentes no universo dourado: Ran, a deusa do mar

A deusa Ran é a deusa nórdica do mar, ela astuta e com grande poder. Sua aparência é de uma mulher de cabelos longos ondulantes como a água. A parte inferior está conectada à um redemoinho de água e espíritos de guerreiros mortos em naufrágios, afinal ela também fará parte do Ragnarök. Essas almas estão presas pela rede de pesca, sua maior invenção. Depois ela ensinou o truque à Loki que ensinou aos outros æsires e por fim aos humanos. Não fica claro se ela está do lado do Abismo ou do Ouro. Seu marido é Aegir.
A deusa do mar